sexta-feira, 9 de março de 2018

E mais um dia começa! Grandes coisas! Se ao menos valesse a pena... Sinceramente, não dá mais! Não tenho mais estrutura para seguir este caminho. Não sei onde vou e nem se vou. Minha vida não tem mais um norte, uma chegada, uma meta a alcançar. Tudo se esvaiu por entre meus dedos. Não construí nada e o pouco que conseguí, está partindo a cada dia de minha vida.Tudo, literalmente! Os bens materiais, os sentimentos, os prazeres, a personalidade, o profissionalismo, o amor, enfim, a vida...
Chegar à esta conclusão é a mais pura contestação de que não há mais razão para nada.
O título do meu blog fala de resgate da vida e do amor. Chega a ser irônico. No entanto, não conseguí atingir minha meta. As pessoas observam e percebem o quanto deixei de viver. Já é nítida minha transformação. Não estou falando só da bebida não. A falta dela apenas me deixa mais fudido ainda. Em meus momentos de embriaguez, ao menos consigo momentos de relaxamento e esquecimento do meu mundinho escroto. Aliás, todo drogado sós e sente menos piro quando usa sua droga. Isso é fato!A manhã está acabando e daqui mais algumas horas, chega a noite de sexta. A tão esperada sexta, na qual chegava em casa e mantinha um diálogo prazeroso com um ou dois litros de vodka. Meu corpo chega a coçar quando lembro disso. Meu Deus, me ajude a suportar! Te peço! 

quinta-feira, 8 de março de 2018

As dores que sinto em meu corpo me causam um receio de morrer antes de conseguir sair dessa vida, desse buraco em que estou. Tem sido cada vez mais difícil não beber. Meter goela abaixo essas porcarias para poder me esquecer das minhas dores tem sido cada vez próximo. Mas não consigo sair disso assim como não consigo sair da presença cada vez mais incomoda de todos e, sobretudo, da presença de mim mesmo. Sou raivoso, inquieto, amargo, rude e folgado. Não pareço nem de longe o ser humano que em certos momentos fez eu gostar de estar em minha companhia. A possibilidade de eu levar isso adiante poupando meu corpo e me concentrando na travessia que supostamente me prepara sentimentos melhores me parece cada vez mais remota. É claro que essa travessia não pode existir enquanto eu não existir. Não me sinto, ignoro na maior parte do tempo o meu corpo e o sentido das coisas que sinto e faço. Minha vontade é ignorar tudo. 

A raiva, a culpa e o ressentimento me paralisam. Sinto-me vítima de sentimentos que nunca imaginei fossem crescer e se transformarem em quase incontroláveis, sentimentos que me fazem temer as pessoas, deixar de trabalhar e ser joguete de minha própria vulnerabilidade. Sempre fumei e bebi de forma a machucar meu corpo e não conseguir parar. (tempo para pensar) Eu não consigo lidar com mimguém e tomar qualquer decisão que me pareça acertada, pensada ou que, enfim, não seja baseada nesse turbilhão de sentimentos me custa horrores. Acabo por me render.

Irritabilidade gratuita, medo do fracasso. Seria a boa hora para tomar aquela dose de uma boa vodka e esquecer. Me pego ao mesmo tempo preocupado em fazer as coisas que preciso fazer e com pouca inspiração para tal. Minha cabeça trava! Mas eu quero experimentar não beber, pois bebendo eu tenho acumulado esse mal estar que nasce da pouca produtividade e criatividade que eu tenho tido nas coisas que gosto de fazer, que nasce também da pobreza que tem sido minha relação com as pessoas e coisas ao meu redor. Eu posso criticar, pensar ou procurar alternativas para os valores do mundo em que vivo com relação a exigências de produtividade ou ao afeto, e o álcool realmente me ajuda, ou me ajudou em certos momentos, a encontrar certos caminhos de pensar e sentir, mas definitivamente, agora, ele tem me tirado justamente a possibilidade de fazer isso a não ser de forma muito infértil. Inversamente, o uso que sempre fiz do álcool só me tirou qualquer chance de trabalhar e sentir. Uma coisa é cair na armadilha dos valores da “sociedade do espetáculo”, ou como queiram chamar, outra é desistir de achar outros caminhos. Álcool representa isso para mim hoje: desistir.

Espero ter forças...

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Bom dia a todos! O motivo da minha postagem de hoje é triste. Infelizmente, não tive estrutura para aguentar o que vem acontecendo na minha vida neste últimos meses. Infelizmente, bebí novamente! Isso mesmo! Depois de tanto tempo, não resití e tomei a tão adorada bebida que sempre me fez tanto mal. Aproveitei de uma pseudo liberdade, na qual me encontrei sozinho, vazio e sem norte e entrei na garrafa mais uma vez. Minha esposa viajou. Mais uma vez, lá estava eu. Sozinho e com um turbilhão de coisas se passando na minha cabeça. Não deu outra. A pior parte desta história é que ela descobriu toda minha mentira. Resultado: como não poderia ser diferente, eis que novamente me vejo sem ninguém. Sozinho e tentando acalmar a cabeça e as ideias para não cair de novo em outro copo de bebida. Não quero e nem vou justificar o injustificável. O fato é que pisei na bola! Devo, no mínimo, tentar manter a hombridade e assimilar as consequências resultantes disto. Confesso que não sei o que fazer neste momento. Pedí a Deus, em minhas orações, que me dê serenidade para não fazer mais besteiras do que a já feita. Enfim, não tenho condições de raciocinar agora.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Boa tarde, queridos internautas! Sentí saudades daqui e por isso, resolvi dar o ar da minha tão reluzente graças aos meus caros amigos anônimos do mundo virtual. Depois de tanto tempo longe, vou contar como estou agora. Continuo abstêmio desde que me decidí em para de beber. nenhuma gota sequer de álcool desde o dia 15/07/14. Outra batalha que vinha enfrentando era com a balança. Quando decidi para de beber, o que aconteceu foi que minha fome se tornou literalmente animal. Comia toda hora e uma quantidade absurda. Era de se esperar, pois comecei a sentir o paladar de tudo que comia e também passei a comer muto porque, como não bebia mais, sentia fome. Alcancei os 146 quilos de peso. Estava morrendo a cada dia, literalmente. Tomava sete comprimidos antes mesmo das 6 da manhã. cada um para uma enfermidade diferente. Diabetes, hipertensão, colesterol, triglicerídios e por aí vai. Isso se agravou por volta de novembro de 2014. Estava eu, então, há 4 meses sem beber. Estava decidido a reverter este quadro. Decidí pela bariátrica. Finalmente, após incontáveis idas e vindas a médicos e tudo o que se possa imaginar, consegui me operar em julho deste ano. De lá pra cá, minha vida se transformou em um mundo maravilhoso de novas conquistas e satisfação. Coisas simples de nossas vidas e que um super obeso não consegue fazer sozinho. Agora, consigo! Obrigado, meu Deus, por mais este presente!

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Retorno

Bom dia, caros irmãozinhos de blog! Antes de mais nada, mil desculpas pela minha total ausência e falta de consideração e respeito para com os senhores. Depois de um longo e tenebroso inverso, ei que ressurge da cinzas, tal qual uma fênix, este narrador que vos fala (estou inspirado hoje...).
Neste enorme tempo no qual estive ausente, graças a Deus, os motivos foram os melhores possíveis e que contribuíram para que isso acontecesse. Meu trabalho me consome 12 horas por dia, em média. Tenho acordado pro volta de 5:30 da manhã e chegado em casa depois das 20:00h todos os dias. Os projetos que assumí, me obrigam a dividir meus 150kg em puro trabalho e dedicação. Estou feliz! Meu casamento vai muito bem, obrigado (sem muito tempo para nós dois, mas tentamos conciliar isso)! Troquei de carro de novo (até pouco tempo atrás, sequer tinha um. viajamos ao Nordeste para um passeio maravilhoso pelas prias deste país.
O mais importante: estou há um ano e nove meses sem ingeri uma gota sequer de álcool! Agradeço todos os dias pela minha conquista. A saúde tá uma merda, mas pelo menos estou me cuidando e estou limpo,kkkk. 
Só por hoje e por mais um dia!

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Bom dia a todos, caros irmãozinhos da web! Depois de um longo e tenebroso inverno, eis-me aqui de volta para dar sinal de vida e contar um pouco do que vem acontecendo comigo. Nesse tempo todo o qual estive ausente, algumas coisas mudaram. Até hoje, dia 18/06/15, não coloquei nenhuma gota de álcool em minha boca desde o dia em que parei de beber. Uma coisa maravilhosa: comprei meu carro de novo!. Consegui! Em resumo, a única cosia que ainda não consegui resolver foi a falta de emprego. Tenho buscado em tempo integral, as não tive sucesso até hoje. Tenho fé em Deus que eu alcance mais este objetivo, com a graça da Deus!

Só por hoje e por mais 24 horas!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Boa noite, caros amigos! Hoje, resolvi ressuscitar e aparecer para dar sinal de vida e narrar para vocês como está o atual cenário da minha vida. Graças ao meu bom Deus, ao apoio das pessoas que me amam e a minha força de vontade, estou há 8 meses sem álcool em meu corpo. Para mim, tem sido uma vitória imensa e meu corpo agradece. Retornei ao médico para uns exames e vocês nem imaginam a diferença. Não tenho mais gordura no fígado e minhas taxas estão praticamente normais, se compararmos ao quadro que eu apresentava há 8 meses. Enfím, nem tudo são flores. Ainda não conseguí emprego, mas sigo na luta em busca de algo. Acho que para quem passou pelo que eu passei, merece um lugar ao Sol. Entrego nas mãos de meu Deus. Ele resolverá a seu tempo.

Só por hoje e por mais 24 horas!